Traduzir para:

Canal Saúde Mulher | Guia de Saúde & bem estar

Inflamação Pélvica : O Que é, Causas e Sintomas, Prevenção e Tratamentos


É a infecção de órgãos reprodutivos femininos, localizados na pelve. Atinge as mulheres jovens, predominantemente entre os 15 e os 25 anos de idade. Embora os agentes causadores da inflamação pélvica possam ser transmitidos por relação sexual, ela não é considerada uma DST (Doença Sexualmente Transmissível). Mas sem tratamento, a doença pode produzir cicatrizes nos órgãos reprodutivos femininos e atrapalhar a circulação dos espermas e dos óvulos por eles, dificultando uma futura gravidez. As cicatrizes podem também favorecer a gravidez tubária (quando os óvulos fecundados permanecem em uma das trompas de falópio e não descem para o útero).
 

O QUE CAUSA

Bactérias como clamídia ou gonococo, a mesma que causa a gonorréia, invadem o colo do útero - que funciona como uma barreira protetora natural entre a vagina e os órgãos reprodutivos - e por esse caminho se instalam no útero, trompas de falópio e outros componentes do sistema reprodutor feminino. O contato sexual ou algum procedimento cirúrgico (aborto, curetagem, dilatação da vagina) são as principais vias de contaminação. Outra, menos comum, é a infecção em órgão próximo como o apêndice, por exemplo. Não é raro o médico ter dificuldade de identificar a origem da doença.

PRINCIPAIS SINTOMAS E SINAIS

Dor na região onde se localizam os órgãos reprodutores, corrimento vaginal amarelado com odor forte e menstruação irregular. Algumas mulheres podem não apresentar qualquer sintoma.

PREVENÇÃO

Mulheres sexualmente ativas, especialmente aquelas que variam de parceiros, devem procurar usar preservativo nas relações sexuais, consultar anualmente um ginecologista e solicitar exames que identifiquem a presença das bactérias causadoras da inflação pélvica.

TRATAMENTO

Para combater a infecção os médicos prescrevem antibióticos. Os analgésicos são recomendados quando há dor abdominal. Muitas vezes o tratamento exige repouso. Debelada a infecção, o médico deve pedir exames específicos de cultura de fluido vaginal e de imagens do útero para certificar-se de que não houve comprometimento dos órgãos reprodutores. Diante de resultado não conclusivo, poderá solicitar ainda ultra-som, biópsia endometrial ou laparoscopia. Casos avançados de inflamação pélvica podem exigir internação em hospital para acompanhamento da doença. Se ela for decorrente de doença venérea, o parceiro sexual também deve ser tratado.


voltar