Traduzir para:

Blog Canal Saúde Mulher | Notícias

Estresse pode atrasar a menstruação?



A primeira suspeita do atraso de uma menstruação é a gravidez, mas não obrigatoriamente a única causa. O ciclo menstrual pode ser afetado por diversos fatores físicos e emocionais que podem tanto levar ao atraso, como até mesmo, à ausência temporária de menstruação.

Entre os fatores emocionais que podem interferir na irregularidade menstrual, estão o estresse e a ansiedade, fazendo com que a mulher não ovule em determinado ciclo, provocando a ausência de menstruação no mês.
O próprio atraso da menstruação e a hipótese de uma possível gravidez não planejada, na maioria das vezes, gera mais ansiedade e nervosismo, atrasando ainda mais o ciclo.

Isso ocorre, porque o estresse provoca alteração na região do cérebro responsável pelo controle dos hormônios que regulam os ciclos menstruais. Mas existem outros motivos fisiológicos que devem ser investigados nos casos da amenorreia e é por isso, que é muito importante que todas a mulheres façam exames ginecológicos regulares, para certificar-se de que não há nenhum problema mais grave.

Desde a primeira menstruação até a fase adulta, a mulher passa por várias transformações físicas e psicológicas, que podem, por si só, resultarem em ciclos menstruais irregulares. A adolescência, o uso de anticoncepcionais, dietas restritivas, o excesso ou a falta de exercícios, a obesidade, qualidade do sono, problemas de tireoide, ovários policísticos, menopausa, infecções e outras doenças mais graves, são algumas das inúmeras possibilidades que podem comprometer a pontualidade da menstruação e sinalizar que algo não vai bem no organismo.

Toda mulher já passou por um atraso no ciclo menstrual, que pode ser encarado natural, desde que de forma pontual e sempre associado a um fator externo, como o estresse e ansiedade. Por isso, atenção! Nenhuma irregularidade persistente, por mais de três meses, pode ser considerada normal e é necessário procurar a ajuda de um médico ginecologista para que ele faça o correto diagnóstico e tratamento.

Consulte regularmente o médico ginecologista, a prevenção é o melhor remédio! #CanalSaúdeMulher #SOGESP

Participe, divulgue, compartilhe e siga-nos em nossos canais!