Traduzir para:

Blog Canal Saúde Mulher | Notícias

HIV ou AIDS?



Confundir HIV com Aids ou usar os termos sem fazer qualquer distinção é um dos erros mais comuns que as pessoas cometem no dia a dia. Em países como o Brasil e os Estados Unidos, a maioria das pessoas que vivem com HIV  não desenvolverá Aids, um dos estágios mais avançados da doença do HIV.

HIV é o vírus que causa a Aids, mas, para a maioria das pessoas, o tratamento adequado e cuidados médicos regulares mantém o sistema imunológico forte o suficiente para impedir que jamais se desenvolva Aids. Um teste positivo para o HIV significa apenas isso: a pessoa tem o vírus HIV.

Atualmente, é muito mais simples diagnosticar e tratar as pessoas que tiveram contato com o sangue ou o sêmen de alguém que já é soropositivo. As formas mais comuns de transmissão incluem o sexo anal ou vaginal sem proteção e o compartilhamento de seringas (não importa se foram utilizadas para injetar drogas ou para injetar medicamentos, como hormônios para transição). Com tratamento adequado tão logo o resultado positivo, as pessoas podem viver uma vida tão longa e tão saudável quanto as pessoas sem HIV.

Os resultados com falsos positivos não são comuns, mas eles podem acontecer. Segundo o site Aids.gov, a probabilidade de se obter um resultado com falso negativo depende do tempo que passou entre quando você pode ter sido exposto ao HIV e quando você fez o teste: “leva algum tempo até acontecer a soro conversão. Isso acontece quando seu corpo começa a produzir os anticorpos que são detectados pelos exames de HIV – um período que varia de duas a seis semanas depois da infecção. Portanto, se você obtiver um resultado negativo no teste de HIV em até três meses depois da última possível exposição ao HIV, os profissionais de saúde recomendam que você realize um novo teste três meses depois desse primeiro exame. Um resultado negativo só é preciso se você não teve risco de exposição para o HIV nos últimos seis meses – e um resultado negativo só vale para exposições passadas. ”

Os cientistas consideram que, quanto mais tempo um portador de HIV seguir sem tratamento antirretroviral, maior se torna o reservatório de HIV oculto no corpo. Quanto mais cedo um portador de HIV iniciar o tratamento, mais cedo reduzirá a carga viral e alcançará uma carga viral indetectável (praticamente impossível se transmitir HIV para um parceiro).

Agora que você já sabe que ter HIV é apenas possuir um vírus, não fique na dúvida em caso de sexo desprotegido com um novo parceiro ou de exposição com seringas de procedências duvidosas, faça o teste! Em caso positivo, corra para obter sua receita médica e começar a tomar seus medicamentos o quanto antes.